segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Sereia - Parte 6

-MARGOT! ONDE ELA ESTÁ? - Eu berrei assim que eu a vi.
-HAHAHA ! - riu-se ela. - Tenho cara de babá de Sereia criança? Aquele saco de fraldas não me interessa. Não sei dela.
-Margot! Não estou brincando!
Ela era minha irmã. Margot e eu disputávamos o trono. Nossa mutação era bem parecida, porém a minha sempre fora mais forte. Chegava ao busto, mas a dela apenas a cintura. Nunca conseguiu evoluir, e colocava a culpa em mim. Dizia que eu havia tomado a parte maior do Cristal Real. Tola. 
-Nem eu. Deve estar por aí, no Oceano... Perdida. Morta, quem sabe? Sua mancha tem dito sobre perigo não é? Sim... Ela tem. Está morta. A herdeira está morta! - ela disse, saboreando cada palavra. 
-Anne Bell! Tenha cuidado. - Gin alertou-me. 
-Vou ter. - Afirmei, começando o meu modo de batalha. 
Minha cauda começou a mudar, como eu esperava. Passou a tocar meu pescoço e se estender pelos meus braços. As escamas cortavam e soltavam veneno. Meus braços eram como espadas. Tinha sobre meu controle também, as águas. Margot não seria páreo para mim.
-O que foi, irmã? Vai lutar? Você não sabe o quanto eu mudei - ela sorriu, maliciosa.
Sua cauda, que tocava a cintura foi crescendo pelo corpo, até tornar-se um capacete. Seus dedos viraram poderosas laminas. Senti cheiro de veneno. Era um ataque que apenas os com sangue Real possuíam. 
Ela avançou na minha direção, e eu desviei. A toquei com meu cotovelo, o que a arremessou longe. Ela voltou enfurecida e tocou meu rosto de raspão com os dedos. Senti o veneno se espalhando, e rapidamente me cortei na mesma região. O meu veneno anularia o dela. 
- Anne Bell! - berrou antes de me atacar novamente. Senti sua cauda tocando minhas costas. De fato, ela estava mais forte. 
Rapidamente, me estabilizei e criei uma barreira ao meu redor, assim ela não me tocaria.
Eu me enganei. A barreira não era forte o suficiente para pará-la. Vi seu sorriso malicioso e temi. Margot sempre fora tenebrosa e forte. Nossa força sempre se distinguiu pelo fato de que eu era a Favorecida, e ela apenas uma sereia com sangue Real. Ser a Favorecida me trazia muitos benefícios  que ela nunca poderia desfrutar. Sempre dizia-me que a Lua havia se enganado ao dar a cortesia a mim, e não a ela. Ignorei. Sempre tive convicção de minha força, e ela, uma simples mortal, não me afetaria.
Afetou.
Seus dedos, que pareciam facas afiadas vieram na minha direção. Por excesso de confiança, fiquei parada, apenas observando. Rapidamente, atravessou minha barreira e riscou meu olho esquerdo. Não fui rápida o suficiente para impedir que o veneno se espalhasse.
-ANNE BELL ! - Gin berrou logo atrás.
Meu olho queimou por conta do veneno. Minha visão foi ficando cada vez mais embaçada. Fui arremessada para longe, logo em seguida. Antes de fechar os olhos e me entregar a escuridão momentânea  vi Gin avançando em sua forma de batalha. Meu Guardião Substituto. Rezei para que ele ficasse bem.

Como eu imaginei, Margot não se contentaria em me deixar somente cega. Ela precisaria ver minha ruína completa para se sentir satisfeita. Assim foi. Enquanto caía no oceano, ela veio em minha direção, com ódio nos olhos. Seu braço direito apontando diretamente para minha cabeça. Essa é a única forma de matar uma Sereia Mestra. A cabeça. Eu vi Gin. Vi Gin tendo seu peito atravessado.
Eu vi meu Guardião morrendo. 

2 comentários:

  1. Como sempre, fantástico!
    Ainda estou esperando a ação, hein!

    Beijo, beijo!

    Vi
    www.bardodataverna.blogspot.com
    facebook.com/vicentrix

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, Vi! A ação vem na próxima parte!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Hey, whatsapp?